quinta-feira, outubro 26, 2006

Lar-Investimento ou Garantia Financeira?

Diz o dicionário que investimento é" a aplicação de algum tipo de recurso (dinheiro ou títulos) com a expectativa de receber algum retorno futuro superior ao aplicado compensando inclusivamente a perda de uso desse recurso durante o período de aplicação (juros ou lucros, em geral ao longo prazo." Existe um mito urbano que considera a compra ou construção de casa própria como sendo um investimento financeiro.

Se pensarmos na casa como um lar, espaço afectivo e pessoal onde partilhamos os melhores momento da nossa vida, chegamos facilmente à conclusão que este é um bem de primeira necessidade, tal como o é comer, dormir ou “Amar”, por exemplo.

Não digo que é normal, mas é usual as pessoas mudarem de lar pelo menos uma vez na vida e, raras excepções, mudam para melhor. Analisando a evolução do mercado imobiliário dos últimos anos, se comprou uma casa à 5, a probabilidade, agora, de a vender por um preço superior é muita. Olhando de novo para a definição de “investimento” chegamos facilmente à conclusão que houve retorno financeiro.

A questão coloca-se quando comprar outra casa. É que certamente, por ser melhor, vai implicar um esforço financeiro maior, o que quer dizer que o saldo do que recebeu para o dinheiro que gastou vai dar negativo, alem de que se continuar a vender/comprar mantendo a mesma evolução no padrão de qualidade, a probabilidade do seu saldo negativo aumentar é muita.

Resumindo, a compra ou construção de casa própria só pode ser considerado investimento primeiro, quando a vender e segundo, quando comprar uma outra com um valor financeiro inferior à que vendeu. Até lá é uma garantia financeira.

Imaginário